https://1.bp.blogspot.com/-cdaMU-dO1OU/X0aOi1gPy9I/AAAAAAABAIA/emZ1VEP_D_clQnlbpbpbjOAILYju0c6YwCLcBGAsYHQ/w640-h427/casablanca.jpg

CASABLANCA EM 1 DIA OU CONEXÃO LONGA

 

Casablanca

Casablanca a maior cidade e importante centro financeiro do Marrocos, foi nossa  última parada de uma viagem de 20 dias e um verdadeiro presente. Fizemos uma conexão longa em Casablanca - 18 horas, o suficiente para explorar a cidade e aumentar a nossa vontade de desbravar esse país tão incrível.

Veja neste post como conhecer esse pedacinho do Marrocos por algumas horas.

Stopover em Casablanca, Marrocos.

Dicas de Casablanca

O que fazer em Casablanca numa conexão longa?


Casablanca no Marrocos, a última parada  de uma viagem de 20 dias passando pelo Egito, Jordânia e Turquia.

Para dizer a verdade, Casablanca foi o verdadeiro presente dessa viagem. Isso porque não estava no roteiro, mas nosso voo de retorno ao Brasil foi pela empresa marroquina Royal Air Maroc, Istambul - Rio de Janeiro, com escala de 18 horas em Casablanca.

Diz aí nada mal  conhecer um novo país, que já estava na lista de desejos faz tempo! Pena que foi tão rápido, mas foi um aperitivo para voltar e explorar todo o Marrocos o quanto antes.


A Royal Air Maroc realiza voos saindo do Brasil direto para o Marrocos ou conexão em Casablanca e destino final para alguns país da Europa e África.

O que poucos sabem é que a empresa oferece aos seus passageiros hospedagem grátis, incluindo refeições e transfer (aeroporto- hotel - aeroporto), isso no caso de conexões no aeroporto de Casablanca de 8 a 24 horas, em voos internacionais. Vou adiantando que não é lá grandes coisas, mas ajuda na economia. 

O lado ruim é que eles não dizem o hotel que você ficará, você só saberá no momento que chegar no aeroporto. Só fiquei sabendo quais seriam os prováveis hotéis, através de blogs de viagem, a maioria  ficavam nos arredores do aeroporto: Hotel Relax ou Atlas Airport Hotel.


Como proceder ao chegar no aeroporto Mohamed V em Casablanca em caso de conexão longa com a Royal Air Maroc?


Ao chegar no aeroporto  de Casablanca, você passa na imigração.

Com o cartão de embarque do voo de conexão em mãos, siga as placas em direção ao "Service Hebergemet " (balção de serviços de hospedagem da Royal Air Maroc - RAM), localizado no terminal 2, 1º andar.

O funcionário pega o cartão de embarque e passaporte, olha uma listagem e devolve junto com o voucher do hotel e transfer.

Em seguida você vai para área externa do aeroporto e pega o transfer (van) para o hotel oferecido.

Antes de mais nada, eu preciso dizer como foi a experiência...


Como foi a nossa experiência com o serviço oferecido pelo Royal Air Marroc?


Toda viagem tem o seu perrengue, concordam? 

Pois é, como era o penúltimo dia  para o término da viagem, achamos que estávamos livre de mais um perrengue! (os outros foram a viagem de trem no Egito e as bagagens extraviadas no voo Egito-Jordânia).

Engano o nosso! 

Chegamos por volta de 21h, estava um frio de lascar, foi uma confusão de passageiros indo em direção ao balcão. O funcionário que nos atendeu era mal educado, demorou e não explicou nada. Simplesmente seguimos o fluxo em direção a parte externa do aeroporto e perguntamos alguns brasileiros que estavam no mesmo barco. A van era pequena para tanta gente e tivemos que esperar uns 20 minutos no frio, para esperar outra van.

Hotel: 

Sem chance para escolher, nos acomodaram no hotel Relax, localizado a 5 minutos do aeroporto. Na realidade o Relax e Atlas são o mesmo hotel, apenas tem entradas opostas.

O check-in foi com um funcionário mal humorado (parecia que estávamos ali a favor) e quando recebemos as chaves das suítes, o indivíduo apontou em direção ao refeitório, dizendo que era para corrermos porque o jantar se encerraria as 22 horas.

Nem subimos, com fome corremos para o jantar. 

E tinha jantar?

Se é que posso chamar todo aquele resto de comida, remexida, com aspecto horrível,

com pratos, copos e talheres de plástico! 

Calma, você não leu errado, COPOS, TALHERES E PRATOS DE PLÁSTICO!

Pensamos: Não merecíamos isso depois de uma viagem tão legal! 

Resultado: Não desceu, dispensamos e fomos dormir com fome.

Bom agora depois de tudo o que aconteceu, vamos tomar um banho quentinho e relaxar né!

Nada! O perrengue não acabou!

Eu juro que nunca vi nada igual gente!

O quarto era extremamente sujo, não tinha toalhas e nem calefação para aquele frio!

Quanto as toalhas, segundo o recepcionista, só entregavam na parte da manhã. Como assim gente!

Depois de muito estresse, raiva, cansaço e fome, o jeito foi tomar um banho muito mal tomado, se secar com algumas roupas da bagagem de mão, porque não levamos toalhas e dormir naquele frio sem coberta, porque não tivemos coragem de se cobrir com aqueles panos.

Eu juro, que se fosse mais cedo e se o hotel não fosse num lugar tão isolado, partiríamos a procura de outro e pagaríamos a diária.

IMPORTANTE: Leve uma bagagem de mão com roupas e claro, depois de ler esse post, se você aceitar essa hospedagem, leve toalha. As bagagens despachadas vão direto para o destino final.

Para finalizar, além do jantar, tínhamos direito ao café da manhã e almoço, mas dispensamos e preferimos comer na rua.

Assim, a primeira impressão do hotel é até bonitinho (externamente e o saguão), mas o resto...

Vamos ao que interessa.


O que conhecer em Casablanca numa conexão longa?


Acordamos cedo, na porta do hotel, negociamos com um taxista o valor de 35 euros para dar uma volta na cidade (aeroporto fica a 1 hora do Centro) e retornar por volta de 12:30. Pois teríamos que pegar as malas, fazer  check out do hotel e pegar o transfer até 13:30.

Pelas minhas pesquisas, Casablanca não é um destino com muitas atrações, desta maneira nossa vontade era conhecer o principal cartão postal da cidade, uma atração que vale por 1.000, tamanha sua grandiosidade e beleza. Com certeza conseguiu apagar nossa raiva quanto o perrengue da hospedagem.


Mesquita Hassan II:

Mesquita Hassan II


Localizada de frente para o mar, sobre as águas do Oceano Atlântico, é a maior mesquita do Marrocos e a terceira maior do mundo, com certeza a mais impressionante que conhecemos na viagem de países árabes. É a única do Marrocos que permite entrada de não muçulmanos.

Hassan II




Uma arquitetura grandiosa e impressionante que durou quase 10 anos para finalizar e foi inaugurada em 1993. Foi construída em homenagem ao rei do Marrocos Mohammed Hassan V , que governou no período de 1961 a 1999.

Hassan II


A visita ao pátio externo é grátis e por si só impactante, com uma torre (minarete) de 200 metros de altura, considerado o mais alto do mundo. 

Mesquita Hassan II


A mesquita é uma riqueza em detalhes, toda revestida  de mármore branco e imensas portas marroquinas de extrema beleza. 

Mesquita Hassan II

Mesquita Hassan II

Mesquita Hassan II


É permitido visitar seu interior somente na presença de um guia (inglês, espanhol e árabe). O tour sai de hora em hora. Valor: 130 dihans.

Vale lembrar que na entrada recebemos uma sacola para colocar os sapatos, mas não é preciso cobrir a cabeça.


Salão de orações:

Mesquita Hassan II


Prepare-se porque a primeira parada do tour é de perder o fôlego, pela sua grandiosidade e riqueza em detalhes, de mármore, mosaicos, portas e lustres. Uma área de 20 mil metros quadrados com capacidade para 25 mil pessoas. O lugar onde passamos mais tempo, o guia dá a explicações e deixa um tempo reservado para tirar fotos e filmar.

Mesquita Hassan II

Mesquita Hassan II


Salão de purificação:

Mesquita Hassan II


Localizado no subsolo da mesquita, encontramos 40 fontes de mármore, confeccionadas no formato de flores para que os fiéis lavem seus  pés e mãos antes das orações.

Mesquita Hassan II


O tour leva em torno de 40 minutos e a mesquita fica localizada a 55 minutos do aeroporto.

Mesquita Hassan II



Saindo dali, encontramos com o taxista no estacionamento, passamos de carro pela avenida a beira mar, Le Corniche e partimos para conhecer a Old Medina.

Casablanca


Próximo dali, fizemos um lanche no Mc Donald`s e retornamos para o hotel, próximo do aeroporto.

Tempo necessário para pegar as malas, fazer o check out e pegar a van para o aeroporto.


Troca de moeda:

Como passamos menos de 24 horas no país, achamos melhor não trocar moeda, em vários lugares aceitam euro e onde não aceitavam pagamos no cartão.


Conclusões e dicas sobre Casablanca:


💬 Voos da Royal Air Maroc:

Quanto aos dois voos da Royal Air Maroc (Istambul-Casablanca e Casablanca-Rio de Janeiro) foram super tranquilos. Funcionários simpáticos, refeições diversificada e agradável, tinha até garrafinha de vinho e o avião apesar de simples era limpinho, com direito a kit de travesseiro, coberta e necessaire com material de higiene. 


💬 Sobre a hospedagem gratuita oferecida pela Royal Air Maroc:

Já o serviço gratuito de hospedagem e alimentação, nunca mais. Em outra oportunidade,  podemos até viajar por esta empresa, mas ficaremos em outro hotel.


💬 Sobre algumas horas em Casablanca:

A dica é, tem pouco tempo, visite apenas a Mesquita Hassan II, já vale o passeio!

Casablanca


💬 Onde se hospedar em Casablanca?

De acordo com indicações de amigos e seguidores, os arredores da Avenida de la Corniche no centro da cidade, é o melhor lugar, por estar próximo de atrações e restaurantes.

Hyatt Regency Casablanca

Four Seasons Hotel Casablanca

Windsor Hotel City Center


*Reserve seu hotel usando os banners do blog e os links deste post,  ganhamos uma pequena comissão e você não pagará nada a mais por isso. Obrigada.


💬 Alugue seu carro na Rentcars, pague no Brasil sem cobrança de IOF. Reserve pelos banners do blog, recebemos uma pequena comissão e você não pagará nada a mais por isso. Obrigado.



💬 Acompanhe  toda nossa viagem no Instagram Blogfourtrip com fotos e vídeos salvos no destaque do Stories.


💬 E já deixa esse post salvo no Pinterest:


 

Casablanca

Acompanhe nossas viagens pelas redes sociais:


      FACEBOOK  /   INSTAGRAM  /  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe conosco suas dúvidas, comentários e dicas. Será muito importante para o Fourtrip. Terei o maior prazer em responder.